As Coisas dos Outros


Você já percebeu ao seu redor o quanto tem criaturas que merecem mais atenção? Pois é, pensando nisso, há algum tempo, tive a idéia de contar as particularidades, curiosidades, peculiaridades, enfim, as histórias das pessoas. Será apenas uma pequena homenagem aos amigos, conhecidos, colegas, parceiros, amigos dos amigos, etecetera!


Para registrar esta nova faze do blog Coisas da Josie apresento o novo layout, claro que é novo apenas aqui, pois está disponível no blogspot. Mas, logo estarei fazendo algumas trocas, tipo escambo, onde o entrevistado pode dar a sua retribuição. Afinal, todos têm talento. Opa! A partir das idéias, surgem outras que fazem a gente crescer, ou seja, quem quiser, fique a vontade, para elaborar uma arte para o blog.


Com este objetivo, entrevistarei algumas pessoas que conheço ou indicadas por amigos. Espero que vocês gostem!! Lembre-se que a sua opinião é extremamente importante para mim, ok??? A estréia é marcada pela ilustre presença de uma grande amiga. Na verdade, quando tinha 16 anos, era fã dela: Maiara Keller.


Bom, para justificar o motivo que te idolatrava tanto, conta para gente como e quando você percebeu o dom para cantar...


kkkkkkkkkkkk o “dom” pra cantar, que linda... Bom, sempre curti muito cantar... mas a idéia de ter uma banda surgiu quando estava no terceirão do Unificado, no fim dos anos 90... Durante uma aula estava cantando um TILT , bem baixinho, ouvindo no fone e um amigo que tava perto – o Rodiney – ficou faceiro porque também curtia o mesmo tipo de som e tinha uma banda em início de formação, a Toktens. Rodiney me convidou pra cantar TILT com eles... eu fui! Foi muito, muito, muito legal e acabamos incluindo no repertório outras músicas de bandas com vocal feminino, como L7... Tocávamos só covers de Pixies, Sex Pistols, Bad Religion, Nirvana, NOFX e várias outras clássicas...


Você ficou envolvida com a banda Jelly’s Garden durante quanto tempo? Como foi o convívio com os ex-integrantes Emanuel, Abelha e Anderson?


Depois de uns dois anos com a Toktens, surgiu a Jelly´s Garden. Tocamos juntos por cerca de três anos... Foi o apse da minha realização como “cantora de banda”, Emmanuel, Abelha e Anderson são exímios músicos e me incentivaram a melhorar meu desempenho. Tocávamos nossos sons favoritos, curtíamos muito que fazíamos e todos percebiam isso...


A viagem para Londres trouxe grandes conquistas. Conte as mais marcantes, lembrando que, aqui, não tem censura (rs)... Além disso, tenho certeza que algum embaraço você passou...


Sem sombra de dúvidas, a maior conquista que essa viagem me trouxe foi o auto conhecimento. Quando fui pra Londres, não tinha muitas pessoas que eu conhecia por lá. Na verdade não tinha NENHUMA. Passei por situações que jamais passaria aqui no Brasil. Isso me trouxe experiência e o aprendizado do Inglês, que me sustenta até hoje. Teria que dizer que além de conquistas, a viagem pra Londres com 19 aninhos e no auge da rebeldia me fez me jogar em aventuras inesquecíveis, alucinantes, sensacionais... Passei por um embaraço clássico uma vez, fazia pouco tempo que tinha chego a Londres e desde o início sempre me joguei sozinha para bares, pubs e shows. Numa dessas vezes, estava num pub trocando uma idéia básica com um rapaz e um protótipo de homem deu uma risada sarcástica depois de algum comentário que eu fiz. Lembro de ter revisto mentalmente toda a frase pra ver se encontrava o filho da puta do erro que tinha provocado àquela risadinha irritante, mas nada... aí perguntei pra ele: “o que foi??” e ele me disse, em inglês: “você não ta falando certo, não sabe falar inglês!” e eu nem pestanejei antes de derramar um discurso (minidiscurso, vá lá.. não tinha um vocabulário extenso na época) e disse pro cara: “você por acaso fala outra língua além de inglês?” e ele me respondeu que não, e eu disse: “ então cala essa boca porque além de eu falar minha língua, consigo te mandar se foder na sua!” o cara levantou da banqueta e saiu porta a fora. Ele deve ter feito algum tipo de divulgação do meu discurso porque depois desse episódio nunca mais ninguém naquela Londres inteira jamais zombou de mim.

Viajei e conheci muitos países na Europa, muitas pessoas, de todos os lugares do mundo... Experimentei comidas, bebidas, alucinógenos, atividades e pessoas interessantíssimas. Quem me conhece sabe o quanto sou livre e o quanto me dou liberdade, e isso me favoreceu muito, me joguei de cabeça (como em tudo o que eu faço) e foram poucas às vezes em que me fodi. Acho que todas as pessoas deveriam ter a oportunidade de experimentar as coisas que eu experimentei!


Além dos dreads, você voltou mais experiente. Quando chegou ao Brasil, quais foram as principais mudanças?


Caraleooo, muitas!!! As principais foram em relação a trampo, creio eu.. pelo menos foi a que teve um reflexo mais imediato. Já tinha tido alguns empregos aqui no Brasil antes de ir, mas trabalhar pra valer mesmo, foi lá...


Conte um pouco da tua formação... Por que, no momento, não estás atuando na área?


Sou formada em Gastronomia... Fiz até o sexto período de Turismo e Hotelaria e o primeiro de Relações Internacionais... Também sou Guia de Turismo especializado em Atrativos Naturais. Quando decidi fazer gastronomia, tinha recém voltado da Inglaterra. Lá tinha trabalhado em muitos restaurantes, e foi a valorização do profissional e as condições de trabalho que me fizeram ter coragem de tentar transformar minha paixão por cozinhar em profissão. O problema é que nossa realidade é beeem diferente, e quando saí pra estágio, já tinha flagrado que não era o que eu queria (também!) e foi uma experiência ruim e revoltante que chegou a abrandar minha PAIXÃO por cozinhar por algum tempo. Nunca trabalhei como profissional de gastronomia aqui em BC e nem pretendo...


Fiquei sabendo que às vezes você pensa em alguém e de repente a pessoa aparece, explica para gente estas histórias... Aliás, elaborei as perguntas para você e no outro dia, havia em recado seu no meu orkut...


Hahhahaha é impressionante, mas acontece com muita freqüência... Deve ser coincidência... Aliás, acontecem muuuitas coincidências na minha vida... a maior delas foi a seguinte: em Londres conheci um australiano, o Eltan... Viajava pela Europa e curtia a vida... Depois de 5 anos, fui pra Bonito... Lá conheci outro australiano, o Andrew. Viajava e curtia a vida... logo que voltei de Bonito fui pra Floripa na festa do WCT, onde conheci outro australiano, o Tom. Fui dormir na pousada que ele tava, e pela manhã ele foi me mostrar algumas fotos das viagens que já tinha feito, e da família... Tom tinha dois irmãos... adivinhem quem eram os DOIS IRMÂOS de TOM??? Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Exatamente! Eltan e Andrew. Mas esse lance de pensar a pessoa e ela aparecer, ou então ligar pra alguém e esse alguém dizer que tava justamente pensando em mim, acontece direto! Ontem mesmo liguei pra Josie, queria dizer o quanto me senti honrada em ser a primeira “entrevistada” do BLOG, e ela atendeu o telefone completamente catatônica, dizendo que tava pensando em mim e quando viu meu nome na bina do telefone ficou gelada! Kkkkkkkkk será que é meu sexto sextido aguçadíssimo?


E a pequena Mell, te deu a maior felicidade e o dom de ser mãe. Quais são as maiores qualidades e dificuldades de ser mãe?


Nossa, a melhor coisa que pode acontecer na vida de alguém...Tive umas neuras básicas né... logo que minha pretinha nasceu, tinha medos absuuurdos do tipo alguém vir e arrancar ela no carrinho pelas pernas e bater ela contra um poste, ou muro.. tipo.. completamente DOENTE. Mas é tão natural a maneira como as coisas acontecem, as mudanças, as adequações, que a gente mal percebe... Ser mãe é ma-ra-vi-lho-so! É realmente uma delícia... ver seu pequeninho ficar parecido com vc, aprender com vc, te repetir, depender de vc, ter vc como porto seguro, a inocência, a energia... é sensacional. Eu amo ser mãe, acho que nasci pra isso, hhahahahahhaha


Os avós são muito corujas? Além de “estragarem” a Mell, eles ajudam bastante na educação e agora estão próximos. Já aprendeu novos truques com a mãe-avó?


Esse lance de vô e vó estragarem os pequenos é bem verdade, minha Mell experimentou refrigerante, chocolate, embutidos, pirulito, bala, chicle e sabe-se lá mais o que na casa dos avós... Meus pais são muito presentes. Como sou solteira, e vivo com a Mell, desde bem pequenininha ela se acostumou a dormir na casa do meu pai com a esposa dele, e na casa da minha mãe... eles participam ativamente do crescimento dela. Sempre que preciso sei que posso contar com eles, e fico muito feliz e grata por isso. Minha mãe me ensinou milhares de truques, tipo massagenzinha pra cólica, cantigas de ninar...


Falando nisso, você pensa no futuro, quando a Mel tiver seus 15 anos e algumas rebeldias herdadas da mãe?


Ai meo deos! Nem me fala... tem uma coisa que eu faço desde que a Mell tava na minha barriga. Por causa de algumas experiências frustrantes que eu tive em relação aos meus genitores, decidi que não vou criar expectativas em relação à vida da Mell. É claro que isso não é fácil, e pode ser que seja impossível, mas é um exercício... Não quero criar expectativas pra não me dar chances de me frustrar, e pra não dar a ela chances de se frustrar por não ter cumprido com a expectativa que EU tinha. Ela é uma pessoa, assim como eu, e vai ter suas vontades, suas piras, seu estilo. Pretendo respeitar e apoiar a Mell nas decisões que ela fizer. No que couber a mim agora quando criança, e formando seu caráter, é claro que não vou faltar. Vou prover a melhor educação e a melhor estrutura que eu puder, pra que ela cresça sólida e decidida. Mas quando chegar a hora de ela ser quem ela é, pretendo deixar ela viver. Sempre ali, do lado... mas sem me meter em suas decisões, em suas crises.. a não ser que ela me peça. E vamos combinar que eu não fui uma adolescente normal, eu aprontei, aprontei horrores, meus pais se frustraram por criar expectativas em relação a mim e minhas irmãs... e não quero repetir o erro. Se ela for rebelde como eu fui... paciência.. eu vivi muito, e não me arrependo de absolutamente nada.


E projetos e planos, no momento têm algum?


Muitos! Trabalho com aulas de inglês, faço traduções... Tenho um projeto muito legal em andamento, e outro ainda é projeto de projeto. Mas já, já desenvolvo. O que já está em andamento ainda não foi aplicado, mas assim que for com certeza vocês vão ouvir falar... vou dar uma divulgada aqui no Blog da Josie.


Para finalizar, todos os convidados podem indicar alguém para participar do blog... qual é a tua indicação?


Indico meu amigo do coração Fabio Olivar, dono e proprietário do La Fora. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


Coisas da Maiara:

Idade: 27 anos

Profissão: Chef de cozinha, não atuante

Roupa: a que tiver mais a mão

Banda: tem que ser só uma? Vá lá... Propagandhi

Música: Today´s Empires, Tomorrow´s Ashes, Propagandhi

Livro: putz.. muuuuitos. Deixa eu ver... li duas vezes.. Assim Falou Zaratrusta, do Nietzsche

Revista: não leio revistas...

Acessório: afff não ando sem meu celular, tem todas as minhas músicas favoritas

Bar: La Fora

Pessoa: Meus Pais

Lugar: Campos, montes, pastos, morros, praia...

Namoro: adooooro um namoro.. kkkkkk


Porcentagens da Mayara:

Liberdade: 100%

Experiência: tenho muito que aprender.. 80%

Sexo: 100%

Vergonha: 0%

Timidez: 0%

Espontaneidade: 100%

Amizade: 100%

Conquistas: 80%

Felicidade: 100%

Comentários

f/costa disse…
Irada a entrevista, parabéns. Achei bem engraçada, divertida e é bem o jeito da Maiara mesmo (pelo menos o pouco que conheço).
Allysson Benevides disse…
Auêeee, showww, showww, showww

Parabéns pela entrevista Josie!!!
Maiara, garota incrível, depois de muiiiiito e muiiitooo tempo, vejo seu rosto, sua felicidade, sua alegria, suas conquistas nesta entrevista!!! Parabénsssss, muito divertido, Felicidadesssss :D
Adorei!

Adorei!

\o/

Aguardo ansiosamente pelas próximas!

Curiosidade quanto aos escolhidos!

Ótimo projeto, Josie!

Parabéns à entrevistadora e à entrevistada :P
Marcelo Cortês disse…
Sur-re-al a entrevista, hahahah inacreditavel a coincidência dos 3 irmãos Australianos, surreal! Adorei o fora no Ingles também, muito bom hahahahahahaha Poucos teriam essa coragem. Parabéns Josie o blog ta demais. Um bjãooo pra Josie e pra Maira!
Batata disse…
Na minha opinião, foi a melhor fase da Toktens!
Desde aquela época a Maiara tinha um sexto sentido muito forte!
Pergunta pra ela o que ela pensa sobre escrever azul na nuca...
aehaehaehaehaehae
Saudades de 1998...
Josi disse…
Adorei sua nova fase, Josie!
A entrevista tá linda.
:)
Parabéns!
O mundo é das Josis!
hehehe!

Beeeijos!
Flávio Tin disse…
Muito Boa a entrevista...

achei de mais, as historias da Maiara sempre sao otimas, sempre rende boas risada....

parabens Josie e manda um abraçao pro Felipe
Kenzo disse…
Parabéns pela nova fase, guria!

E digo mais: voto pra Josie substituir o Jay Leno, ou o Conan O'Brian, ou qualquer outro!
naizapq disse…
Idéia legal essa do perfil.
E começar com uma entrevistada com boa histórias pra contar é melhor ainda.

Adorei!
Monike disse…
Ai que bonitinha minha Josie... hahahaha... tah mt legal teu blog... qdo eu for grande tb quero um desses pra falar de bobagens de moda.. quem sabe depois de formada e com tempo hábil vc me ensina né?

Vi que vc tah com uma coluna tb... posso te indicar um blog?
http://parafrancisco.blogspot.com/

é uma mãe q perdeu o marido alguns meses antes do baby nascer e ela fez o blog pra contar pro filho como era o pai.. é lindo!!

beijos magrela.. prometo visitar mais isso aqui
;*
Jéssica Feller disse…
muito legal essa nova proposta Josie! ;D
e parabéns pela coluna! muito legal!

beijos
fabioolivar disse…
VOCEIS DUAS SÃO "DIMAIS"
Me orgulho muito,por ter sido lembrado.
Vou ficar metido!!!!!!!
Fabio Olivar.
Fernando disse…
Hahahaha. Palmas pro fora no inglesinho!
Manuela disse…
fofurinha! a entrevista está interessante, bem josiezinha no jeitinho. vou aguardar a próxima vítima, adoro entrevistas. beijo do gordo, muá.
A Publicitária disse…
Caracaa
Adorei teu blog!
coloquei nos meus favoritos!!!
bjãooo

Postagens mais visitadas